Estas 5 perguntas vão garantidamente ajudar você a poupar dinheiro e a ter a vida que realmente deseja

Por vezes, fazer a você mesmo/a as perguntas certas é tudo o que precisa para melhorar as coisas na sua vida, incluindo a parte financeira. Mas, se não fizer as perguntas certas, então não irá obter nenhum resultado. Depois de trabalhar na área dos serviços financeiros durante mais de 24 anos e estar exposta a alguns dos melhores investidores profissionais de todo o mundo, Vanessa Stoykov percebeu que estas cinco perguntas simples podem ajudar você a poupar milhares de euros contribuindo para que tenha um futuro melhor.

 perguntas que ajudam você a poupar dinheiro

5 perguntas que vão garantidamente ajudar você a poupar dinheiro

 

1. Este é o melhor negócio que posso conseguir?

Parece básico, mas muitas vezes não fazemos esta pergunta. E neste caso, as primeiras coisas em que deve centrar a sua atenção e fazer esta pergunta são: seguros (de todo o tipo: casa, carro, habitação, saúde, vida, etc.), serviços (de todo o tipo também: internet, telemóvel, televisão, água, luz, etc.) e créditos que você possa ter.

Em todas estas situações é importante saber quais os prémios e taxas que está a pagar e fazer a pergunta: Este é o melhor negócio que posso conseguir?

Por exemplo, a Vanessa Stoykov verificou que no seu seguro de saúde ainda estava a pagar pela cobertura de maternidade muito depois de já ter sido mãe. Ninguém se deu ao trabalho de lhe perguntar se ela ainda precisava dessa cobertura, e ela também nunca fez a pergunta, por isso, continuava a pagar. Depois de se questionar sobre isso ela passou a poupar cerca de 80€ por mês.

O mesmo pode acontecer com os serviços ou créditos que você contratou – pergunte se pode conseguir alguma solução mais barata que a contratada, ou se eles têm alguma promoção ou plano que possa reduzir o valor a pagar.

Pensar nesta simples pergunta pode trazer de volta muitos euros à sua conta bancária.

2. Quanto posso investir em mim?

Durante anos Vanessa Stoykov seguiu o adágio de pagar-se a si própria em primeiro lugar – apesar disso poder ser difícil especialmente quando se tem um monte de contas para pagar todos os meses. Normalmente, pagamos todas as nossas contas, e vivemos (ou sobrevivemos) com o que sobra. Este modo de viver é ineficaz porque estamos a colocar-nos em último lugar – e para avançarmos, precisamos de colocar-nos em primeiro lugar. Algumas pessoas aplicam a regra dos 10%, ou seja, colocam de lado 10% dos seus ganhos à cabeça, antes de pagar qualquer conta que seja. A chave é perguntar-se – quanto é que eu valho e como posso investir mais em mim? Depois, abra uma conta-poupança que seja difícil de tocar e crie uma transferência automática mensal (montante = 10% do seu salário) da sua conta à ordem para a sua conta-poupança. Passados alguns meses, e quase sem dar por isso, você terá amealhado um bom pé-de-meia, e sentir-se-á muito bem com isso.

3. Será que realmente preciso disto agora?

Geralmente acreditamos que realmente precisamos de todas as coisas que compramos, mas é sempre bom fazer esta pergunta quando vamos fazer compras – especialmente se estiver a pensar pagar com o seu cartão de crédito. Se não tem dinheiro para pagar a pronto e não se trata de um item essencial, faz todo o sentido perguntar a si próprio/a se realmente precisa daquele item. Resumindo, ao pagar a crédito estará apenas a aumentar o peso sobre as suas costas o que fará com que continue a trabalhar apenas para pagar tudo volta com juros.

Em alternativa, cuide das suas coisas para que durem mais tempo, e pense em formas de cortar nos seus gastos diários.

4. Posso conseguir isto mais barato online ou comprando em maiores quantidades?

Muitas vezes, pagamos mais caro por alguns itens porque precisamos deles nesse preciso momento, no entanto, se fizermos alguma pesquisa e começarmos a planear as coisas com alguma antecedência podemos poupar muitos euros.

Normalmente, comprar online sai mais barato porque a oferta é imensa e existem sempre lojas online com produtos em promoção. E, no caso dos items que não têm prazo de validade, uma boa prática é optar por comprar em grandes quantidades porque sairá mais em conta.

5. O que é que eu realmente quero para a minha vida?

Esta pode parecer uma grande pergunta, mas se você não tiver um objetivo, então todas as perguntas do mundo não o motivarão. Ao passar algum tempo a pensar sobre como realmente quer que a sua vida seja – não apenas na próxima semana ou mês, mas no próximo ano, daqui a 5 anos e daqui a 10 anos – então pode começar a tomar algumas decisões estratégicas sobre a vida que realmente quer.

Se quer ser um viajante, então pode diminuir os seus gastos gerais e poupar mais um pouco para poder financiar o seu desejo de “escapar” regularmente. Se quer economizar para comprar uma casa, então pode encontrar formas de viver de modo mais simples e frugal, ou talvez possa mudar-se para um local com um custo de vida mais acessível.

Pensar a longo prazo pode ajudar você a poupar milhares de euros ao contrário das decisões ruins de curto prazo que nunca são as melhores e que não contribuem para alcançar a vida que você realmente deseja.

Receba as nossas dicas / notícias diretamente no seu email:

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *